Como ter uma Comissão Própria de Avaliação (CPA) estratégica

Tempo de leitura: 6 minutos

Ter, de forma rápida, informações sobre o andamento da Instituição é crucial para gestores de instituições de ensino (IE). 

A melhor forma de dispor dessas informações é através de um dashboard, que é um painel onde estão dispostos, de forma visualmente inteligível, representações gráficas dos dados da instituição.

A maioria dos indicadores do dashboard virão do sistema de gestão educacional. Por isso, é muito importante que a IES tenha um sistema de gestão bem estruturado, onde os usuários alimentem, de forma correta, os dados acadêmicos e financeiros, assim gerando informações importantes para a tomada de decisão.

Dos vários indicadores importantes para a gestão da IES, vários deles podem ser adquiridos através de dados captados pela CPA, que é responsável por planejar, organizar e aplicar uma avaliação interna da instituição de ensino, no intuito de avaliar o andamento de todos os processos educacionais e administrativos, sejam das faculdades e universidades públicas ou privadas.

 

Por que a CPA existe?

A exigência de uma comissão avaliadora nas Instituições de Ensino Superior (IES) surgiu com a Lei Federal nº 10.861/04, que instituiu o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), obrigando todas as IES a criarem suas próprias comissões. A CPA é formada por diferentes membros da comunidade acadêmica, como representantes dos setores administrativos, professores, estudantes e da sociedade civil organizada.

Mas não é apenas para cumprir requisitos legais que a CPA é importante

Mas não é apenas para cumprir requisitos legais que a CPA é importante. O avanço da instituição está intimamente ligado em conhecer os dados avaliados pela CPA, como por exemplo:

  • Desempenho de professores e tutores;
  • Infraestrutura;
  • Rematrícula;
  • Evasão;
  • Reprovação;
  • Valor recebido;
  • Valor faturado;
  • Projeção;
  • Inadimplência, entre outros.

Com esses dados, a equipe de gestão poderá monitorar e analisar cada quadro, a fim de tomar as decisões necessárias, tanto visando resolver algum problema, quanto objetivando melhorias. 

 

Método de apresentação dos dados para o MEC

Os resultados obtidos com as avaliações aplicadas pela CPA devem ser sintetizados no formato de relatórios, a fim de garantir o credenciamento ou o recredenciamento das IES. Tais relatórios são alguns dos principais critérios para o reconhecimento ou renovação de cursos de graduação e pós-graduação exigidos pelo Ministério da Educação – MEC.

 

Cinco eixos temáticos devem ser considerados na elaboração dos documentos da CPA. Esses eixos foram criados também pela lei que instituiu o SINAES. São eles:

Eixo 1: Planejamento e Avaliação Institucional

  • Eixo 2: Desenvolvimento Institucional
  • Eixo 3: Políticas Acadêmicas
  • Eixo 4: Políticas de Gestão
  • Eixo 5: Infraestrutura

Outras dimensões, que podem ser abordadas nas avaliações, também foram citadas pelo SINAES:

  • Comunicação com a sociedade;
  • Política de atendimento aos estudantes e egressos;
  • Sustentabilidade financeira;
  • Responsabilidade social da instituição;
  • Políticas de pessoal, carreiras do corpo docente e do corpo técnico administrativo.

 

Além do MEC

Apesar da importância legal dos relatórios da CPA, é relevante falarmos dos benefícios alheios às avaliações do MEC, ou seja, que são proporcionados pela tratativa que a própria instituição dá aos dados que coletou.

A autoavaliação é aplicada em toda a comunidade acadêmica e os dados recolhidos irão virar relatórios muito importantes para a tomada de decisão sobre melhorias na Instituição.

É, portanto, necessário criar incentivos para que os alunos participem da avaliação, mostrando a importância dela. Outro item muito importante é dar um retorno de todas as melhorias que foram feitas, seja passando nas salas de aulas e nos setores, ou mesmo disponibilizando a informação em painéis nos corredores da Instituição.

 

Usando Dados do CPA em melhorias internas

Usando Dados do CPA em melhorias internas

Dentro da Infraestrutura, serão avaliadas as salas de aula, cantina, espaços em comum para os acadêmicos, sinal da internet, entre outros itens. Um sinal ruim de internet, por exemplo, pode causar uma avaliação negativa da Instituição, já que ela é usada para pesquisas, acesso ao material disponibilizado pelo professor e assim por diante.

Itens como a didática do professor, material disponibilizado pelo mesmo, cumprimento do horário de aula, plano de ensino, entre outros itens, podem ser objetos de avaliação negativa: bons professores, atualizados em relação ao conteúdo, irão incentivar a permanência dos alunos. O inverso, com certeza, causará evasão.

É importante olhar para os dados obtidos e se perguntar: que ações podemos tomar para que, na próxima avaliação, os resultados sejam mais positivos?

Para garantir que as respostas terão teor confiável, é importante tomar alguns cuidados durante o período de resposta:

  • Os alunos, professores e demais participantes devem, o tempo todo, serem assegurados de que suas respostas são confidenciais, e que nenhum tipo de medida insatisfatória será tomada com quem, por algum motivo, fizer críticas;
  • Cada questão precisa ser explicada, e sua importância ressaltada;
  • A avaliação precisa ser feita em um momento específico, dedicado apenas para a atividade;
  • Os benefícios de dar respostas completas deve ser reiterado, assim como a evocação de boas medidas, anteriormente tomadas a partir do último CPA;
  • Um programa de feedback precisa existir, para que os participantes da pesquisa sintam que seu esforço valeu à pena;
  • Os Brainstormings podem ser planejados, acompanhados por alunos, professores e demais funcionários, no objetivo de resolver questões levantadas na pesquisa.

 

Definindo contramedidas

As questões mais importantes devem ser inseridas em um plano de ação e, para isso, precisam ser discutidas. Para que os dados da avaliação sejam melhor julgados, é importante compará-los com outras informações, que em sua maioria vêm do sistema de gestão educacional.

A baixa avaliação de um professor, por exemplo, pode ser contrastada com o desempenho da turma em sua disciplina. Deficiências na infraestrutura podem ser colocadas em paralelo com demandas dos setores administrativos, e mesmo a qualidade da biblioteca pode ser comparada.

Nesse contexto, uma instituição de ensino que vê com importância a melhoria contínua deve, impreterivelmente, ter como prioridades uma boa CPA e um ERP educacional de excelência.

O Gennera Academic One, além de fornecer dados para indicadores que cooperam para a melhoria contínua, ainda é certeza de “um problema a menos” nas suas avaliações.

Por ser desenvolvido pensando na experiência do usuário, o Gennera confere excelente usabilidade, acrescida do fato de o sistema ser completo e abranger todas as necessidades da instituição.

Quer saber mais? Converse com um dos nossos consultores e descubra o que a Gennera pode fazer por você!

Quero saber mais sobre o Gennera

Sobre Blog Gennera

A Gennera tem mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento de soluções acadêmicas e financeiras destinadas exclusivamente ao ecossistema de educação, sendo pioneira e líder nas plataformas de gestão educacional online (cloud computing).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.