Como um ambiente virtual de aprendizagem integrado pode alavancar seu EAD

Tempo de leitura: 6 minutos

Segundo o Censo da Educação Superior 2019, mesmo antes da pandemia, 63,2% das vagas ofertadas no ensino superior foram para EAD. Além disso, neste ano, na rede privada, pela primeira vez o número de egressos nessa modalidade ultrapassou o número de egressos para o presencial, atestando a adesão do público.

Mas essa tendência não é tão recente assim: entre 2009 e 2019, houve um aumento de 378,9% em matrículas para cursos EAD

Mesmo com previsões de serem drasticamente reduzidas as medidas de restrição da pandemia, uma pesquisa da ABMES – Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior, mostra que o ensino híbrido é visto como opção para 52% dos estudantes, sendo que 38% dos entrevistados gostariam que todas as disciplinas migrassem para esse formato.

No entanto, a permanência desses estudantes no formato EAD ainda é um problema, tendo taxas de evasão que chegam ao dobro dos cursos presenciais. 

EAD sala de aula ensino a distância
EAD sala de aula ensino a distância

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estrutura do EAD

Dentre as formas de manter os alunos interessados e engajados, uma das mais importantes é fornecer um ecossistema de integração, organização e bem-estar. Para que esse ecossistema seja possível, é indispensável que exista um ambiente onde alunos e professores troquem algum tipo de interação.

A esse ambiente chamamos de AVA: Ambiente Virtual de Aprendizagem. 

O Ambiente Virtual de Aprendizagem pode ser um sistema ou software que proporcione, minimamente, alocação, organização e distribuição de conteúdo, seja para cursos totalmente on-line, seja para disciplinas semipresenciais.

É através de uma plataforma EAD que o aluno terá contato com a estrutura de cursos, conteúdos, disciplinas, aulas e avaliações.

Dentro de um AVA, deve ser possível acompanhar o processo de aprendizagem do aluno, gerar relatórios sobre progresso e performance e permitir o controle de frequência.

Uma estrutura adequada torna a aprendizagem assertiva e natural, deixa simples a resolução de problemas e garante a eficácia do processo.

Principais dificuldades para o Ensino a Distância em Instituições Privadas

Estar longe do campus universitário, baixa renda para custear transporte e alimentação ou mesmo falta de tempo: a educação a distância resolve ou reduz esses problemas, fazendo o ensino superior ser agora uma opção viável de graduação para grande parte das pessoas.

Mas mesmo considerando os benefícios, o EAD enfrenta muitos desafios.

1- Baixa democratização do acesso à internet

 

Foi-se o tempo em que o ensino, especialmente o superior, era realidade apenas para classes mais altas. Seja por advento do FIES, do Prouni ou através de economias, pessoas em situação financeira não tão favoráveis estão, ainda bem, ingressando cada vez mais em universidades.

É de se esperar que, nessas condições, visto que o Brasil ainda não possui uma democratização real da internet, problemas de conexão podem ser frequentes, seja pela ausência ou pela má qualidade do acesso à rede.

Ainda, é de se pensar que, nem sempre, o estudante disporá de um computador ou que, ademais, pode dispor de uma máquina com configurações que não suportam a instalação de programa, ou mesmo rodar aplicações pesadas na web.

Mesmo no ensino infantil e de adolescentes, onde os optantes por colégios privados costumam ter maior poder aquisitivo, é importante considerar todos esses aspectos, especialmente pensando nos impactos financeiros decorrentes da pandemia.

2 – Pouca familiaridade com tecnologias

 

Considerando ainda que o perfil majoritário do acadêmico EAD é de licenciaturas, é preciso ter em mente que, em alguns casos, haja uma menor inclinação e familiarização com o uso de tecnologias, o que exige que os portais e materiais sejam simples, intuitivos e autoexplicativos.

Ainda, também essas questões sobre o usuário impactam em muito os professores e demais agentes do processo educacional. 

É preciso que a estrutura EAD se atente à usabilidade e experiência do usuário, visando facilitar a vida de ambos os lados. Esse cuidado, ao evitar retrabalhos e dores de cabeça, aumenta a adesão ao método pelo simples fato de ser amigável.

Estudar em EAD deve, obrigatoriamente, ser mais fácil e prático que estudar no presencial.

3 – Dúvidas sobre a qualidade do ensino ofertado

Por ser uma realidade recente, é normal que haja uma inicial aversão ao modelo EAD. As objeções são diversas: pouco ou nenhum contato com o professor, ausência de uma turma presencial, nenhum acesso ou acesso reduzido a laboratórios, baixa qualidade do ensino.

A verdade é que, para quebrar essas objeções, precisa haver de fato estrutura e programação que anule ou tornem irrelevantes tais possíveis problemas.

Ademais, precisam ser ressaltadas as vantagens do modelo:

  • Não precisar de transporte;
  • Poder estudar no conforto de casa;
  • Aulas disponíveis para serem reassistidas;
  • Economia de tempo;
  • Economia com alimentação;
  • Menos distrações por parte da turma, entre outras.

Deve se ter em mente que, no fundo, as dúvidas não passam muito de aversão ao novo e ao diferente. A comunicação institucional deve focar nas qualidades, e quebrar objeções de forma sutil e prática, mostrando a qualidade do serviço prestado.

4 – Aceitação pelo Mercado de Trabalho

 

Por mais que a dedicação e a disciplina exigidas, no formato EAD, dêem ao estudante uma alta carga de responsabilidade quanto ao próprio aprendizado, ainda é possível observar alguma desconfiança com a qualificação dos candidatos nas vagas de emprego.

Além da conexão próxima ao mercado de trabalho, uma forma de driblar esse problema é mostrar ao mercado, através das boas práticas e excelência em infraestrutura, que a instituição dispõe de ferramentas suficientes para não só diplomar seus alunos, mas prepará-los para o mercado de trabalho.

5 – Problemas com o AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem)

 

Muitos alunos, quando começam a ter problemas de usabilidade no AVA, tendem a pensar que aquele problema é inerente ao modelo EAD. Além de gerar ainda mais descrédito à modalidade, dificuldades do usuário são com certeza um motivo forte para evasão, tanto das aulas on-line quanto do próprio curso.

Como resolver os problemas e alavancar seu EAD?

Para alavancar seu EAD, é necessário focar em processos e infraestrutura.

Além de estar sempre em contato com o mercado de trabalho, vincular campanhas de marketing adequadas e trabalhar na conscientização dos alunos já existentes, toda a estrutura organizacional precisa ser resistente a falhas.

Pensando nisso, a Gennera desenvolveu o Módulo Sala de Aula para o seu EAD.

Além de ser nota 5 no MEC, o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Gennera é nativamente integrado com todas as outras áreas do sistema.

O ambiente foi desenvolvido para facilitar o processo de integração virtual entre professores, tutores e alunos, propiciando a total integração e acesso por qualquer dispositivo móvel que tenha acesso à internet.

Além disso, a disponibilização é simples e eficaz para materiais em PDF, vídeos e demais recursos apropriados para o projeto proposto no PPC, que possibilitam o processo de cooperação.

Sobre Blog Gennera

A Gennera tem mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento de soluções acadêmicas e financeiras destinadas exclusivamente ao ecossistema de educação, sendo pioneira e líder nas plataformas de gestão educacional online (cloud computing).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *