Gestão de pessoas em instituições de ensino: como os indicadores podem ajudar?

Tempo de leitura: 6 minutos

Gerir pessoas tende a ser mais complexo que gerir processos ou tecnologia: pessoas são únicas, têm dias bons e ruins, particularidades ocultas e mudam de opinião com frequência.

Em instituições de ensino, a Gestão de Pessoas é uma tarefa incluída em quase todas as posições, em especial naquelas de liderança.

Seja por questões salariais, por motivos de horário, por eventualidades pessoais ou por dificuldade técnica, nem sempre existe, por parte do colaborador, uma disposição a trabalhar pelo atingimento de metas e pela melhoria contínua.

Longe de ser um problema apenas aos trabalhadores, o baixo engajamento é uma dor de cabeça aos líderes, desde os diretos até os mais elevados na hierarquia. 

Como fazer para padronizar e elevar à excelência o trabalho de quem bate o ponto com desânimo? Como despertar gosto pelas inúmeras atividades maçantes e repetitivas, a ponto de estimular que os próprios cooperadores aprimorem seus processos?

As metas estabelecidas de modo unidirecional e “de cima para baixo” são as maiores responsáveis pelo pouco ânimo de equipes  estruturais, como a Limpeza e o Suporte Telefônico. 

A falta de clareza e a baixa consciência sobre a importância do próprio trabalho também contribuem para que, pessoas nessas funções, sejam a cada dia menos comprometidas com os valores da empresa.

Mas existem formas de exigir sem desengajar e, para isso, o primeiro requisito é estar bem fundamentado em dados sólidos e incontestáveis. 

Por isso, nesse artigo, vamos falar sobre como o uso de indicadores pode ser uma ferramenta indispensável para a Gestão de Pessoas.

Consciência Ativa sobre a Importância do Trabalho

Qualquer pessoa que não sabe bem o seu papel tende a desempenhá-lo a cada dia de modo mais automático e pouco estratégico.

  • Relacionar, abertamente, a boa aderência dos alunos a uma atividade ao ar livre ao fato de o ambiente estar agradável, por exemplo, é um modo de engajar a equipe da limpeza. 
  • Deixar claro quantos novos alunos chegaram por meio da prospecção ativa via telefone dá, à equipe de suporte, a sensação de dever cumprido e responsabilidade.
  • Mostrar a melhora das notas dos alunos que vão à biblioteca com frequência, por sua vez, estimula o bibliotecário.

Seus colaboradores sabem onde se encaixa a peça que movimentam, ou são operários inconscientes da magnitude de suas funções?

Mostrando o valor de cada atividade com dados

Quando algo vai muito bem ou muito mal, nós como profissionais conseguimos… sentir. – A isso, popularmente, chama-se de “feeling”.

Ter indicadores é como sistematizar esse feeling, e dar a ele, ou sentido, ou contraponto:

“Os alunos estão mais frequentes nas aulas de matemática depois da mudança de metodologia.”

“Os pais estão participando mais das reuniões”.

“Esse ano o desempenho dos cursos de Exatas superou os de Biológicas quanto a matrículas”

Sim, dá para dizer tudo isso com a propriedade de um gráfico exato e comparável!

E é por isso que os indicadores são tão importantes para desenvolver a cultura da instituição: não tem como “ter outra visão” diante de dados tabulados e extraídos a partir de uma série histórica: quando um indicador vai mal, a discussão não é mais se ele está certo ou não, mas de o que pode ser feito para melhorar.

E o que isso tem a ver com Gestão de Pessoas?

É que ninguém vai querer ver seu indicador “abaixando”: mais que uma questão de qualidade, acontece a pessoalização da tarefa, ainda que nomes não sejam exibidos.

A definição de metas de curto prazo acontece quase que de forma automática, ainda que se deva deixar claro quais ações precisam ser tomadas.

Indicadores e o desenvolvimento profissional

Outra coisa incrível também acontece quando indicadores são parte da rotina: as pessoas começam a se tornar resolvedoras de problemas, não apenas “fazedoras de atividades”.

Quando visualizam os resultados do próprio trabalho, e pensam em deixá-los ainda melhores, ou em sanar algum problema identificado, os colaboradores saem do senso de urgência e emergência, e começam a pensar de modo estratégico.

Isso, consequentemente, resulta em crescimento profissional e novos aprendizados.

Portanto, não é exagero dizer que a melhor forma de treinar pessoas é dar a elas motivos para se capacitarem externamente.

Você já usa indicadores confiáveis na sua instituição de ensino?

Mas acima de tudo, não basta medir: é preciso medir de forma correta!

Hoje, como você mede os dados do ensino? Você tem propriedade quantitativa do que acontece na sua IE?

Para ter indicadores confiáveis, seu banco de dados também precisa ser confiável!

Pensando nessa necessidade, o Gennera Academic One opera com backoffice SAP B1, e somos o único sistema educacional brasileiro com integração nativa com esse banco de dados.

Aceito como verdadeiro pelas maiores auditorias empresariais do mundo, o banco de dados SAP garante rastreabilidade, subsequência e tempestividade e inviolabilidade.

Todo lançamento que é feito no sistema é rastreável:  o sistema sabe quem fez a movimentação, a que horas e quais foram os passos usados.

Os dados são atualizados em tempo real, de forma subsequente e tempestiva: tão logo as informações são lançadas, todas as ramificações de dados são atualizadas, gerando relatórios verdadeiros já no momento seguinte aos novos lançamentos.

E se algum dado lançado precisar ser modificado ou excluído, é necessário fazer um estorno e um relançamento. – Tudo ficará registrado, de modo inviolável, ainda que seja uma transação dependente de senhas específicas dadas a pessoas de confiança: é impossível executar qualquer ação no SAP Business One sem que todos os passos sejam gravados.

Além dessas vantagens que geram confiança, a integração faz com que os dados sejam interrelacionáveis: você pode cruzar quaisquer relatórios, e obter a relação entre eles!

É que tem coisas que só a Gennera faz pela sua instituição de ensino, e não é por menos que já transformamos a gestão de mais de 350 escolas, faculdades e cursos livres.

Quer ser a próxima IE a dar um salto em qualidade e simplicidade?

Converse com um dos nossos consultores e descubra de quantas formas diferentes a Gennera pode ajudar você!

Sobre Blog Gennera

A Gennera tem mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento de soluções acadêmicas e financeiras destinadas exclusivamente ao ecossistema de educação, sendo pioneira e líder nas plataformas de gestão educacional online (cloud computing).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.